Como montar uma viagem? Dicas de planejamento para realizar sonhos, comendo bem, se hospedando em lugar legal e passeando muito.

16:24

Um pouco mais de 70% dos contatos que recebo é: "estou indo passar "X" dias na cidade "Y", dá para conhecer alguma coisa do país?" Aí tem os clássicos:  o que ver, onde ficar, como me descolar, onde comer?!


Muita calma nessa hora. 

Vamos pensar um pouco. Já dei dicas aqui no blog recentemente em como montar um roteiro de passeios. O post ficou bem completinho e, antes que você continuar lendo esse post, indico você ler o anterior primeiro.


E ai, leu? Então vamos ao planejamento.




Não existe receita a ser seguida.

O "tempo" necessário para ver tudo ou nada é você quem vai fazer. Vai depender do ritmo da sua viagem, da sua idade, do que você gosta e do que não gosta de fazer, e o quanto você quer investir na viagem. A mesma regra vale para onde você vai se hospedar e onde quer comer.


Vamos pensar juntos....

Eu monto roteiros personalizados - tanto de viagens, quanto de intercâmbio - e, assim como eu estudo sobre os locais quando estou programando a minha viagem (ou escrevendo um post para vocês) de acordo com o meu gosto, faço o mesmo com os meus clientes. A diferença é que, algumas vezes, eu não os conheço taaanto assim, então eles preenchem um formulário para eu saber como eu vou montar a viagem. 

A maior e melhor regra para montar um roteiro, para qualquer lugar que você vai, é definir o quanto você quer investir nessa viagem. Você não pode - e nem deve! - gastar o que não tem. Mesmo que você queira muuuuito ir no restaurante "X" ou "Y" super hiper renomado, não dá para sentar na mesa se você não tem como pagar. Pense que haverão outras oportunidades para isso ou, se ainda tem um tempo para a viagem, veja se não dá para guardar um dinheiro para ir no tal restaurante. Você pode até não gostar de cálculo, mas se você pensar que fazer conta de somar e subtrair irá facilitar e muito sua viagem, não irá doer tanto assim fazer umas continhas.


Depois de definir seu orçamento, coloque no papel quais os lugares que você tem muita vontade de visitar e o preço de cada um: o museu da Anne Frank, o Rijksmuseum, ou a Maurishuis, ou ir no Zaans Schans, ou conhecer o ir no mercado de queijos em Alkmaar, etc. 



Feito isso, você vai ter uma noção do valor a ser investido em cultura.



Qual a melhor forma de se deslocar?
Resposta fácil e simples: andando! É só nas ruas que você sente a cidade, a sua dinâmica, as pessoas, o idioma falado, as luzes, os edifícios e casas, e é o unico transporte gratuito.
Em segundo lugar eu indico o transporte público. Na maioria dos lugares do mundo, o transporte público funciona e te leva para qualquer lugar de forma rápida. Ok, no Brasil a realidade não é bem essa, mas em outros lugares do mundo deslocar-se de metrô ou ônibus é mais rápido do que de taxi. Isso porque muitos centros urbanos estão cheios de automóveis, o que torna o deslocamento de veículos mais complicado, fora a dor de cabeça e valores que você vai ter para estacionar ou pegar um taxi. Uó! 
Trams do transporte público de Amsterdam 
Na Holanda e em alguns outros países, como na capital da França, em Paris, a bicicleta também é uma excelente opção. A diferença é que em alguns lugares não há ciclovias, o que requer mais atenção. Não se esqueça! Como todo transporte guiado, você tem que conhecer as regras antes de sair por aí pedalando, então vale a pena dar uma pesquisada antes de alugar uma bicicleta, para não correr o risco de levar uma multa. É um transporte simples, fácil, divertido e barato. Só não vai deixar para aprender a pedalar durante a viagem (a não ser que o sentido da viagem seja esse!).
Bikes - Foto: Entretulipas



E a hospedagem?

Hospedagem boa é aquela em que você tem uma boa noite de sono, um banheiro limpo e o hotel / pousada está bem localizado - de fácil acesso a transporte, próximo aos principais locais que você vai visitar e em uma região segura. Para descobrir isso, vale dar uma lida em blogs, consultar amigos que já foram ou moram no destino, ler guias ou revistas sobre o que você está planejando.
Essa é a minha regra e, partindo desse princípio, faço buscas usando o Booking, para procurar hoteis e pousadas,  e o Airbnb (se vou passar bastante tempo), para buscar apartamentos para alugar.


Feito isso, você vai ter uma noção de quanto vai gastar por dia na despesa mais cara da viagem, que é a hospedagem e, consequentemente, vai saber quantos dias pode ($$) ficar.

Restaurante Tuyn - Foto: Entretulipas

O mito: comer bem só gastando muito.

Vou te contar um segredo: descobrir os sabores da viagem pode ser a melhor parte! #gordinhafeelings 
Falando sério, não tem graça nenhuma você ir a França e não comer um baguete pelo menos uma(s) vez(es). 
Já fiz muitos passeios só de mochila pela Europa, e foi uma das melhores experiência que já tive, mas mesmo assim nunca fiquei só no Mc Donald´s para economizar na comida. 
Então aí vai: há, sim, como economizar nas refeições sem gastar horrores e comendo MUITO bem. Se o orçamento está apertado para as refeições, tome um bom café da manhã, passe no supermercado no almoço ou coma um lanche rápido, e vá em um bom restaurante no jantar.
Dalí Coccina - Foto: Entretulipas
E, posso falar uma coisa?! Nem sempre o restaurante mais caro significa o melhor.
No meu caso, sempre quando estou planejando a viagem, converso com amigos residentes dos lugares e leio alguns blogs, em busca de recomendações que se aproximem do meu gosto e que não fujam do meu orçamento.
Costumo sempre dar dicas de lugares bacanas para comer, como o Raful, em São Paulo, ou o Tuyn, em Maragogi, ou o Dalí, em Recife, que não são lugares acessíveis e de comida MUITO boa.
Afinal, os sabores também marcam uma viagem!

Compras de souvenirs
Talvez vocês já estejam cansados de saber dessa dica, até porque eu já falei bastante aqui, mas vale ressaltar que as lembrancinhas nos pontos mais movimentados normalmente são mais caras. Lógico, que tem coisas que você só encontra na lojinha daquele museu, como réplicas e objetos mais específicos, mas se você busca economia, vale fugir dos pontos mais turísticos, onde você deve encontrar preços melhores para os souvenirs.
Se o seu destino é outlets e shoppings, não esqueça de colocar também no orçamento o valor que você vai gastar comprando.

Com planejamento, ninguém precisair preso - Foto: Entretulipas em Londres

Lembrando que...
Essas regras servem para qualquer destino, seja Londres, seja Paris, Pequim, Tóquio, Miami ou qualquer lugar. Eu usei lugares na Holanda para exemplificar. 
Outra coisa que é bom reforçar: não existe receita certa. Isso é a forma que eu faço, e que dá certo para mim. Se você leu isso tudo vai ver que a fórmula perfeita é o planejamento. Se você se planeja, nem se você se perder na cidade será um problema. Pelo contrário, será divertido!
Quem quiser, aqui tem uma planilha simples, já com os cálculos, que vocês podem baixar e usar para planejar suas viagens. Selecione FILE (ARQUIVO) > FAZER DOWNLOAD COMO MICROSOFT EXCEL e pronto. Abra o arquivo no seu computador e preencha os espaços em branco com as informações, e ela vai dar o valor total do orçamento. :)

Siga-nos:
Instagram Entretulipas




Procurando passagens aereas? Clique aqui.
Já garantiu o seu Seguro Viagem com desconto? Clique aqui.
Reservas de hoteis com os melhores preços aqui.

Você também irá gostar

4 comentários

  1. Boa Nina! Adorei a tabela. Por essas e outras eu só viajo com sua ajuda e recomendo!
    Grande beijo e parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  2. Por isso eu só viajo com Entretulipas Além de ser uma super profissional e montar toda a viagem com tudo que eu quero, ela sempre tem indicações que me surpreendem. Tirando que é uma ótima companhia. Se não pode viajar com ela, super recomendo o trabalho profissional da montagem da viagem, garantia que sua viagem vai dar certo Parabéns Nina Cavalcanti!

    ResponderExcluir

Os + lidos

PUBLICIDADE

Publicidade